Quarta, 25 de Novembro de 2020 04:51
(83) 99608-4846
SAÚDE COVID-19

Às vésperas das eleições, 9 capitais estão à beira da segunda onda do coronavírus; João Pessoa entra na lista

O levantamento é do sistema InfoGripe, da Fiocruz, com base em dados do Ministério da Saúde.

14/11/2020 07h32
Por: JACKSON SILVA
Às vésperas das eleições, 9 capitais estão à beira da segunda onda do coronavírus; João Pessoa entra na lista

Às vésperas do primeiro turno das eleições municipais, que acontece no próximo domingo (15), nove capitais brasileiras registraram um novo aumento de infecções por coronavírus. O levantamento é do sistema InfoGripe, da Fiocruz, com base em dados do Ministério da Saúde.

Ao menos oito dos municípios mais ameaçados são das regiões Norte e Nordeste. Para especialistas, aumento pode culminar em uma segunda onda da pandemia no país.

Os municípios com maior tendência de avanço, superior a 95%, são Florianópolis, João Pessoa e Maceió. Há também uma probabilidade moderada de crescimento, maior que 75%, em Belém, Fortaleza, Macapá, Natal, Salvador e São Luís.

As regiões mais ameaçadas do levantamento são aquelas que tiveram os números mais elevados de contaminados nos primeiros meses da pandemia. A teoria dos especialistas é que uma pessoa que já foi infectada pode ser novamente vítima da pandemia.

Em São Paulo, o crescimento no número de internações por Covid-19 também coloca a cidade em alerta. Segundo informações da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo, o número de internações na Grande São Paulo chegou a 677 na quinta-feira (11), o maior desde 30 de setembro, quando 724 pessoas foram hospitalizadas.

Chama atenção o aumento de internações em hospitais particulares, como o Sírio-Libanês e HCor. Novas hospitalizações mostram o avanço da doença entre a classe média e alta, que voltaram a frequentar comércios, restaurantes e eventos.

O Sírio-Libanês, por exemplo, voltou a registrar 120 internações em novembro, mesmo número registrado em abril. O número havia caído para 80 em outubro. Do total de doentes, 50 estão em UTI.

A ocupação de leitos de hospitais municipais da capital também teve uma ligeira subida em outubro e, em novembro, estacionou. As internações estão agora no patamar de 640. No pico da pandemia, esse número chegou a 1.930.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias