Web Rádio Cidade Jovem
Pizzaria
ESTUDO

O Município de Caldas Brandão ficou entre as 4 cidades mais violentas da PB em 2017

Os dados são referentes ao ano de 2017 e divulgados por meio do Atlas da Violência 2019, disponibilizado nessa segunda-feira (5).

06/08/2019 20h21Atualizado há 3 semanas
Por: Jackson Silva
156
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apontou a Zona da Mata e o Agreste paraibano como as mesorregiões mais violentas do Estado. Os dados são referentes ao ano de 2017 e divulgados por meio do Atlas da Violência 2019, disponibilizado nessa segunda-feira (5).

Em matéria publicada pelo portal MaisPB, relata que os dados  do relatório apontam, em 2017, os quatro municípios paraibanos mais violentos representam cada mesorregião do Estado: Mato Grosso (137,2/100 mil habitantes), São João do Tigre (113,0/100 mil habitantes), Caaporã (109,7/100 mil habitantes) e Caldas Brandão (99,6/100 mil habitantes), correspondendo respectivamente a Sertão, Borborema, Zona da Mata e Agreste. Contudo, Agreste e Zona da Mata concentram o maior número de municípios violentos.

Na capital João Pessoa, a taxa é pouco maior se comparada à estadual. Foram registrados 316 homicídios, resultando em 38,9 homicídios a cada 100 mil habitantes. Campina Grande, segunda cidade mais populosa, apresentou taxa de 41,4 a cada 100 mil habitantes, sendo registrados 170 homicídios em 2017.

Em âmbito geral, a Paraíba apresentou uma estimativa de 33,9 homicídios a cada 100 mil habitantes. O número coloca o Estado atrás apenas de Maranhão (31,9) e Piauí (20,9). Completam a lista: Alagoas (53,9), Bahia (55,3), Sergipe (58,9), Pernambuco (62,3), Ceará (64,0) e Rio Grande do Norte (67,4).

O texto presente no relatório destaca a redução das taxas de homicídios no Estado na última década: “a persistência na queda dos homicídios na Paraíba desde 2011, em meio ao mesmo cenário de guerras entre facções criminosas que fizeram aumentar substancialmente os índices de homicídios no Nordeste”, conforme trecho do relatório.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.