Pizzaria
Web Rádio Cidade Jovem
SPORTMANIA.VIP
MAIS 40 CIDADES

Na Paraíba, mais de 26 categorias paralisam neste dia 14 contra perda de direitos

Em João Pessoa, um comando de greve foi constituído para pensar e organizar no ato de rua, que será realizado na tarde do dia 14, a partir das 15h, no centro da cidade, mais precisamente na Lagoa.

13/06/2019 08h38
Por: Jackson Silva, Portal JKR
Fonte: Paraíba já
65
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

“A sociedade não aguenta mais. O número de desempregados e de desalentados, quando somados aos subempregados, bate os 28 milhões fora do mercado de trabalho formal. Esse é um número assustador e nós avaliamos que está acontecendo uma grande tragédia”, afirmou o presidente da Central Única das Trabalhadoras e Trabalhadores da Paraíba, Paulo Marcelo. E é com esse sentimento de indignação e de justiça que trabalhadoras e trabalhadores em todo o Brasil se juntam às ruas neste dia 14 de junho para a Greve Geral. Essa atividade vai parar as atividades produtivas brasileiras e, na Paraíba, não será diferente. Um setor importante que aderiu à Greve, foi o dos estudantes, professores, técnicos e funcionários das instituições de ensino superior, médio, fundamental e até mesmo do setor privado.

O ponto principal dessa greve é a luta contra a Reforma da Previdência, mas outras questões entram na pauta de reivindicações como os ataques à educação, os níveis de desemprego crescente e a entrega do patrimônio público do país. Outro sentimento que move os organizadores da Greve, é a indignação revelada pelos vazamentos recentes de conversas entre, o ex – juiz federal,Sérgio Moro, e o procurador da República, Deltan Dallagnol, responsável pela Operação Java Jato, que prendeu o ex- presidente Lula.

Em João Pessoa, nesta quinta (13), uma coletiva de imprensa foi convocada para acontecer na CUT, a partir das 10h, onde as informações das paralisações e mobilizações, que acontecem no estado da Paraíba, serão divulgadas. E as atividades seguem na quinta (13), com a realização de uma plenária conjunta entre as centrais sindicais, movimentos sociais e partidos políticos que organizam a Greve. O evento será na Federação das Trabalhadoras e Trabalhadores na Agricultura (Fetag), a partir das 17h30, que fica localizada na Rua Rodrigues de Aquino, 944, no bairro de Jaguaribe. Nela, serão compartilhadas as leituras da situação da greve em todo o Brasil.

Desde segunda (10), várias atividades de panfletagem foram realizadas na capital paraibana chamando a atenção da população para a Greve Geral. Aqui na Paraíba, além do movimento sindical, como a Central Única dos Trabalhadores e a Central dos Trabalhadores do Brasil, estão envolvidos os movimentos sociais e partidos que compõem as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Em João Pessoa, um comando de greve foi constituído para pensar e organizar no ato de rua, que será realizado na tarde do dia 14, a partir das 15h, no centro da cidade, mais precisamente na Lagoa.

Na Paraíba, algumas categorias já anunciaram que vão parar suas atividades, são elas: professores e trabalhadores das redes de ensino municipais, estaduais, federais e particulares; estudantes; bancários; trabalhadores da construção civil; comerciários, Incra; Ibama; TRE; TRT; Justiça Federal; Ferroviários; Limpeza Urbana; Cagepa; Correios; Setor de Telecomunicações.

Atos vão acontecer em torno de 50 cidades paraibanas, confira a seguir alguns locais de concentração:

João Pessoa – Paralisações pela Manhã, ato às 15h, na Lagoa.

Cajazeiras – está fazendo um processo de preparação com carro de som nos bairros. Os dois seguimentos que estão mais mobilizados são saúde e educação. Os comerciários também estão envolvidos. A mobilização envolve cidades da região e ato acontece no centro da cidade. A partir das 8h da manhã, a concentração será na praça Coração de Jesus, panfletagem em todo o comércio Cajazeirense, com carro de som. Todos de Preto. Finalizar com uma quadrilha junina em defesa da Aposentadoria. Durante à tarde, a partir das 17h, terá um Sarau Pelo Direito de Se Aposentar, na Praça do Leblon. Apresentações Culturais, música, dança, poesia, teatro, intercalado com falas de esclarecimento sobre o projeto de Capitalização da Previdência Social e a privatização da aposentadoria.

Guarabira – 14h: Concentração em Kiberg – Praça Lima e Moura – Centro de Guarabira; 16h – Marcha pelas ruas comerciais do centro de Guarabira; 17h: Encerramento das ações no Café com Poeira.

Rio Tinto: Passeata pela cidade. Concentração às 6h no Campus IV da UFPB, às 8h sai a passeata; às 10h, apresentação de trabalhos científicos na praça João Pessoa; meio-dia ocorrerão atividades culturais;

Sousa: Concentração as 7h na Igreja Sant’ana. Com a pergunta geradora: você trabalhador(a) quer receber o PIS PASEP, sabe que pode ficar sem?

Sapé: Em Sapé vai ter ato na greve geral. Com uma caminhada. Quatro atrações culturais. Participarão Sapé, sobrado, Riachão do Poço e Mari.

Pedras de Fogo: Às 9h, SINTRAMS/PB – SINDICATO DOS TRABALHADORES MUNICIPAIS DO AGRESTE E MATA SUL DA PARAIBA e SINFUPI/PE – SINDICATO DOS SERVIDORES PUBLICOS MUNICIPAIS DE ITAMBÉ – Itambé e Pedras de Fogo – vão fazer ato público contra a reforma da previdência e os cortes na educação, em frente a Igreja Matriz de Pedras de Fogo.

Patos: Concentração na Praça Edivaldo Mota as 8h da manhã. Ato cultural. Depois caminhada. Categorias mobilizadas: Servidores públicos municipais param 100%; Universidade; IFPB; MST.

Atos ainda acontecem em Santa Rita, Campina Grande e em mais 40 cidades da Paraíba. As informações são do Brasil de Fato.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias