Sexta, 17 de agosto de 2018
(83) 99635-5176
Esportes

15/07/2018 às 14h30 - atualizada em 15/07/2018 às 12h28

46

Jackson Silva

Mari / PB

França vence Croácia por 4 a 2 na final da Copa e é bicampeã mundial
Em jogo emocionante, franceses foram pressionados pelos croatas, mas se aproveitaram do cansaço adversário para chegar ao 2º título da história
França vence Croácia por 4 a 2 na final da Copa e é bicampeã mundial

A França é bicampeã mundial de futebol. Os franceses derrotaram a Croácia por 4 a 2 na final da Copa da Rússia neste domingo (15), no estádio Luzniki, em Moscou. Mbappé fez o quarto francês e, aos 19 anos, se tornou o segundo jogador mais jovem a fazer um gol em uma final — atrás apenas de Pelé, que tinha 17 quando marcou dois na decisão do Mundial de 1958, na Suécia, contra os anfitriões.


 A seleção francesa havia vencido a Copa de 1998, quando foi anfitriã – bateu o Brasil na final por 3 a 0, no Stade de France, em Paris.


 


 A conquista teve um componente especial na história pessoal do técnico Didier Deschamps, que se tornou o terceiro futebolista a se tornar campeão como jogador e treinador. Além dele, apenas o brasileiro Zagallo e o alemão Franz Beckenbauer alcançaram tal feito.


 


 Para a Croácia, o vice-campeonato foi um feito inédito na história do futebol do país. A melhor posição em uma Copa havia sido na estreia do país na competição, em 1998, na França, quando chegou à semifinal – foi eliminada exatamente pelos anfitriões.


 


 Mas a geração de Modric, Rakitic, Perisic e Mandzukic superou os ídolos de infância e escreveram o nome da nação na galeria de campeões mundiais.


 


 O jogo


 


 Como era de se esperar, a partida começou com uma boa dose de tensão. Os jogadores corriam muito e lutavam pela bola de forma dura. Os croatas tomaram a iniciativa nos primeiros movimentos do duelo.


 


 Aos 2 minutos, o zagueiro Umtiti, autor do gol que classificou a França para a decisão na vitória por 1 a 0 sobre a Bélgica, tentou driblar Modric na frente da área e levou um chute na canela do croata.


 


 A Croácia atacava mais, enquanto os franceses se fechavam na defesa. Aos 8 minutos, Rebic passou para Strinic, que entrou na área pela esquerda, chegou à linha de fundo, mas foi travado pelo atacante Mbappé.


 


 Três minutos depois, Perisic recebeu lançamento na área, dominou com a ponta da chuteira na área, mas não teve espaço suficiente para preparar o chute. Se tivesse finalizado, certamente levaria perigo para o goleiro francês Lloris.


 


 Nos primeiros 15 minutos, a Croácia, mesmo tendo passado por três desgastantes prorrogações — que, somadas, representam o tempo de uma nova partida — seguidas nas oitavas, quartas e semifinal, corria mais e acuava os franceses no próprio campo.


 


 A primeira jogada ofensiva da França ocorreu apenas aos 17 inutos, quando Mbappé dominou na direita, encarou os zagueiros e tentou cruzar, mas foi bloqueado.


 


 Em seguida, aos 18 minutos, Griezmann cavou uma falta na intermediária. Ele mesmo bateu e o atacante Mandzukic, que ajudava a defesa, desviou contra as próprias redes. O goleiro Subasic não teve a menor chance de defesa: 1 a 0. Foi o primeiro gol contra da história das Copas.


 


 Depois do gol, a França adiantou a marcação. Aos 23 minutos, o jovem Mbappé arrancou pela direita, mas foi interceptado pelo zagueiro Vida.


 


 Dois minutos depois, houve confusão na área da França e a bola sobrou para Rakitic emendar de esquerda. No entanto, o croata chutou alto demais.


 


 Aos 28 minutos, Modric bateu falta pelo lado esquerdo do campo, ainda na intermediária. A bola cruzou a área e Vrsaljko tocou de cabeça para dentro da área. No tumulto entre os zagueiros, Vida ajeitou para Perisic, que matou com a perna direita, puxou para a canhota e fuzilou para empatar o jogo. A bola desviou levemente no francês Varane, mas o gol foi confirmado para o meio-campista croata.


 


 Cinco minutos depois, a França teve escanteio pela esquerda. Griezmann cobrou, Matuidi disputou com Perisic. Na tentativa de cortar, o croata colocou a mão na bola. Os franceses reclamaram, o árbitro argentino Néstor Pitana consultou o VAR e marcou a penalidade.


 


 Na cobrança, aos 38 minutos, o atacante Antoine Griezmann apenas descolou Subasic, que caiu para o lado esquerdo. A França voltava a estar à frente no placar.


 


 Logo depois de sofrer o segundo gol, a Croácia desceu pela esquerda com Strinic, que passou para Perisic. O meio-campista cruzou para Rebic, mas a defesa da França conseguiu cortar o perigo.


 


 Os croatas voltaram a pressionar os franceses nos minutos finais do primeiro tempo e tiveram uma sequência de escanteios. No terceiro deles, Rakitic bateu e Vida desviou de cabeça, porém não o suficiente para vencer Lloris.


 


 Segundo tempo


 


 Na volta do intervalo, a Croácia tomou a iniciativa de ataque e teve a primeira chance da etapa final. O lateral-direito Vrsaljko cruzou da linha de fundo, mas o goleiro Lloris caiu para defender com tranquilidade.


 


 A França respondeu, aos 2 minutos, com Griezmann, mas foi a vez de Subasic pegar com segurança. Na sequência, o croata Rebic recebeu de Rakitic na área e bateu forte, no alto, mas Lloris fez grande defesa com a ponta dos dedos.


 


 Dois minutos mais tarde, Brozovic fez um lançamento longo para Perisic, porém Lloris saiu com perfeição, matou no peito e afastou o perigo.


 


 Aos 7 minutos, Mbappé arrancou com muita velocidade pela direita, invadiu a área, se livrou da marcação do zagueiro Vida e chutou rasteiro. O goleiro Subasic salvou a Croácia com o pés. Foi o primeioro grande lance do jovem atacante na final.


 


 O treinador Deschamps fez a primeira alteração logo aos 9 minutos do segundo tempo. O técnico tirou o volante Kanté e colocou Nzonzi, também meio-campista, no lugar.


 


 A Croácia continuava no ataque. Aos 13 minutos, Rebic descolou ótimo lançamento para Perisic, na esquerda. O meia foi à linha de fundo e cruzou, mas a bola saiu alta demais. Foi um bom momento do ataque croata.


 


 Porém, a história do primeiro tempo se repetiu e a França ampliou a vantagem, aos 13 minutos. Mbappé iniciou a jogada na direita e passou para Griezmann na área, que ajeitou para Pogba. O meio-campista chutou uma vez, a bola rebateu na zaga e voltou para ele. Na segunda batida, Pogba acertou um bom chute e venceu Subasic.


 


 Os franceses chegaram ao quarto gol com o craque Mbappé, aos 20 minutos. O atacante recebeu de Hernández da esquerda, ajeitou e bateu rasteiro, no canto de Subasic.


 


 A esta altura da partida, os croatas claramente sentiam o desgaste físico pelas prorrogações e decisões por pênaltis nas fases anteriores da Copa.


 


 Aos 24 minutos, Umtiti atrasou a bola para Lloris e o goleiro francês fez uma bobagem incrível. Ele foi pressionado por Mandzukic, tentou driblar o atacante, mas a bola bateu no pé do croata e entrou: 4 a 2.


 


 O jogo voltou a ficar emocionante depois do segundo gol croata. O técnico Zlatko Dalic sacou Rebic da partida e colocou o atacante Kramaric.


 


 Aos 33, a Croácia desceu com perigo. Kramaric tentou chutar, mas a bola escapou dele e sobrou para Rakitic, que bateu cruzado. A bola passou pela área e por pouco o atacante Mandzukic conseguiu colocar o pé e desviá-la para o gol.


 


 A Croácia seguiu tentando, mas claramente sem forças. Aos 44, Rakitic tentou de fora da área, mas a bola saiu alta demais e passou por cima da trave superior do gol francês.


 


 Aos 47 minutos, Mbappé arrancou pelo meio, passou para Pogba, mas o meia se atrapalhou e perdeu o lance. O mesmo Pogba não conseguiu dominar um cruzamento, aos 49, furou dentro da área e deixou passar nova chance de fazer o quinto gol francês.


 


 No final, em uma das decisões com mais gols na história das Copas, a França superou os croatas e o goleiro Lloris teve a honra de erguer a Copa para o país.


 


 Ficha técnica:


 


 15/7 - Estádio Luzniki (Moscou)


 


 FRANÇA 4 x 2 CROÁCIA


 


 Árbitro: Néstor Pitana (Argentina); Gols: Mandzukic (contra), aos 18 minutos do 1º tempo, Perisic, aos 28 do 1º tempo, Griezmann (pênalti), aos 38 do 1º tempo, Pogba, aos 13 minutos do 2º tempo, Mbappé, aos 20 do 2º, Mandzukic, 24 do 2º. Cartões amarelos: Kanté, Lucas Hernández (França), Vrsaljko (Croácia).


 


 FRANÇA: Lloris; Pavard, Varane, Umtiti e Hernández; Pogba, Kanté (Nzonzi, aos 9 do 2º), Matuidi (Tolisso, aos 28 do 2º), Mbappé e Griezmann; Giroud (Fekir, aos 36 do 2º). Técnico: Didier Deschamps.


 


 CROÁCIA: Subasic; Vrsaljko, Lovren, Vida e Strinic (Pjaca); Rakitic, Brozovic, Rebic (Kramaric, aos 26 do 2º), Modric e Perisic; Mandzukic Técnico: Zlatko Dalic.


 

FONTE: R7

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium